Compartilhar:

Com a provável venda de Reinier, a base do Flamengo — por muito tempo relegada a um segundo plano por gestões do clube — pode chegar a uma arrecadação total de quase 150 milhões de euros com venda desde 2017, se consolidando como uma das principais fontes de receitas do clube. a base rubro-negra se recuperou nos últimos anos e se tornou uma das principais fontes de receita para o clube.

Desde o dia 26 de janeiro de 2017, quando fechou a venda do lateral-esquerdo Jorge ao Mônaco, o Flamengo arrecadou R$ 112,3 milhões de euros com as saídas de seis jogadores formados no clube. O valor da possível venda de Reinier ao Real Madrid giraria em torno de 30 a 35 milhões de euros, fazendo o valor total se aproximar dos 150 milhões de euros.

Na atual cotação, esse valor total representa quase R$ 680 milhões — mais do que a receita anual do Palmeiras, segundo time com maior arrecadação do futebol brasileiro.

Reinier poderá ser vendido a partir do próximo dia 19, quando completa 18 anos. A expectativa é que o Real Madrid possa pagar a multa, que giraria entre 30 e 35 milhões de euros. O valor de 70 milhões de euros foi reduzido em novembro, quando o jogador renovou contrato com o Flamengo até 2024. Mas caso ele não renovasse, poderia sair de graça ao fim deste ano, quando se encerrava o contrato anterior.

Não foi divulgado se, na renovação, o Flamengo manteve 100% dos direitos do jogador, como era o caso no contrato anterior, segundo registra o balancete trimestral mais recente do clube.

Uma das principais promessas de sua geração, Reinier está convocado para a disputa do Pré-Olímpico pela seleção brasileira. Pelo profissional do Flamengo, ele jogou 15 jogos e fez 6 gols, participando do elenco campeão brasileiro e da Libertadores. Se for vendido, pode não voltar a vestir a camisa do clube antes de se transferir para o Real Madrid.

A venda seria uma das três maiores da história do Flamengo, ficando atrás da de Vinicius Júnior, negociado por 45 milhões de euros, e, a depender do valor, empatada ou atrás da venda de Lucas Paquetá por 35 milhões de euros.

Além desses dois jogadores e do já citado Jorge, o Flamengo vendeu nos últimos 3 anos o atacante Felipe Vizeu, por 5,8 milhões de euros; o volante Jean Lucas, por 8 milhões de euros; e o zagueiro Léo Duarte, por 10 milhões de euros. Nos três anos anteriores, havia negociado somente dois jogadores da base, Samir e Caio Rangel, por um total de 9,2 milhões de euros.

O orçamento do clube prevê 80 milhões de reais em vendas de jogadores neste ano. A venda de Reinier por valores entre 135 e 157 milhões de reais já cobriria e muito este valor.

Mesmo perdendo sua principal joia com a venda de Reinier, a base do Flamengo, que no ano passado venceu os principais títulos nacionais nas principais categorias continua tendo uma série de prospectos que podem fazer que o clube continue a arrecadar bastante nos próximos anos. Um exemplo é o atacante Lázaro, que marcou o gol do título do Brasil na Copa do Mundo sub-17 de 2019, e recentemente renovou seu contrato até 2025 com multa recorde de 80 milhões de euros.

Compartilhar: