Compartilhar:

O narrador do Grupo Globo Gustavo Vilani fez hoje, no Seleção Sportv um longo discurso sobre o que ele vê como soberba e busca por isolamento do Flamengo. O comentário foi feito após o apresentador do programa, André Rizek, ler nota apresentando as explicações da Globo para o fracasso nas negociações para renovação do contrato de televisionamento do Carioca com o clube. Na nota, a Globo promete manter normalmente a cobertura jornalística do Flamengo mesmo sem o contrato, mas a fala de Vilani é um indício de que a decisão do Flamengo não foi bem recebida dentro da emissora.

Leia a íntegra da fala de Vilani:

“Eu só queria falar sobre direitos, é claro que eu sou parte interessada, tenho o maior interesse mesmo em ver o acerto, transmitir jogos do Flamengo, me diverti muito na temporada passada. Sou suspeito porque eu trabalho na casa, então qualquer coisa que eu falar pode ser mal interpretada, Então até acima disso sugiro o texto do Erich Beting, que é um jornalista especialista em negócios do futebol, eu vou trazer uma aspa só e fazer um comentário pessoal em cima disso.

“Mercado breca o delírio dos dirigentes”, escreve o Erich. Eu vou ler uma frase. “Flamengo alegar outro nível para exigir mais da TV é não olhar para o nível do torneio que ele vai disputar”.

E aí fica aqui uma crítica: é claro que é legítimo o Flamengo brigar por tudo que ele acha que lhe convém, que ele tem direito, que ele merece. Isso é uma negociação. São várias partes. Os dirigentes do Flamengo estão lá para defender os interesses do clube. Agora, quando o Landim, presidente do clube, vem a público no microfone e diz que o Flamengo é maior do que Fluminense, Vasco e Botafogo juntos, eu tomei um susto. Isso só pode ser soberba. A primeira coisa que me veio à cabeça. Por quê? Independente dos números, das pesquisas, do argumento que ele leva para negociar o que é melhor pra ele, o Flamengo só existe, só é grande também por causa dos rivais. Isso é um campeonato.

Quando você começa a se isolar, eu já vi casos e casos, O São Paulo está pagando até hoje pela soberba. Quando o São Paulo veio a público, pelos dirigentes, para dizer que ele era o soberano, o São Paulo entrou numa espiral negativa, porque é assim, é do ser humano, a gente se acomoda. Então me chamou atenção você pisar na cabeça dos rivais porque você está bem….O futebol é cíclico. O Fluminense já esteve bem. O Vasco já esteve bem. O Botafogo já esteve bem. E a gente espera até que eles se recuperem para que fique mais competitivo, no mais alto nível. Então é uma postura de isolamento, de ilha. E tem vários outros: movimento político dentro do clube para afastar do quadro associativo o ex-presidente, o Bandeira. Aí a gente pode discutir a importância, se foi muita, se foi pouca dele, mas ele fez parte do processo de recuperação do clube. E vários outros, e vários outros. Eu acho perigoso sob o ponto de vista de quem tanto admira o clube pelo que em feito, seja nas finanças, tecnicamente, contratando, montando time, dando espetáculo, ganhando título. Essa postura de tirar o time aos 45 do segundo tempo da Copa São Paulo é mais uma, de algo que já estava combinado. A regra tinha uma lista de jogadores para apresentar.

É tudo legítimo, os dirigentes estão lá para defender o Flamengo, Mas cada vez mais eu olho o Flamengo com lupa. A postura de isolamento, de distanciamento, de se fazer uma ilha dentro de um contexto que ele depende dos outros. Inclusive dos seus grandes rivais, que o fazem forte. Isso sempre foi assim, desde que a bola é redonda. Você depende do Vasco forte, do Fluminense forte, de todos os outros pra disputar um campeonato. Até não gostaria de ter me estendido tanto, porque repito, sou suspeito, trabalho aqui na casa, tenho interesse em narrar jogos do Flamengo, porque ele é um grande do futebol, é uma grande atração,. Mas essa declaração do Landim, dizendo que o Flamengo hoje é maior do que os três somados. Isso cabe no boteco. Na boca do presidente do clube, eu achei de uma soberba, de uma arrogância digna de registro.

Compartilhar: