Compartilhar:

Na edição desta quarta (8) do diário espanhol ”As”, foi relembrada uma negociação que durou anos entre Real Madrid e Flamengo. O tema era a ida de Zico, maior ídolo da história rubro-negra, para os Galáticos. A matéria revelou quais foram os motivos que fizeram as conversas não evoluírem.

Em meados dos anos 70, um diretor do clube espanhol desembarcou no Rio de Janeiro para conversar com o pai de Zico. Na época, o craque já era um dos destaques do meio campo do Flamengo e tinha constantes convocações para a Seleção Brasileira. Porém, seu José proibiu a saída de seu filho do país, causando surpresa no cartola do Real.

Anos se passaram, Zico já tinha se estabelecido como o maior ídolo da história do Flamengo, quando em 1983, novamente o Real Madrid veio atrás do atleta. O clube que tinha sido vice em cinco competições: Espanhol, Copa do Rei, Recopa da Europa, Supercopa e Copa da Liga, enxergava no craque do Mais Querido a chance de se reerguer em solo europeu.

O Flamengo chegou a estabelecer um valor de 600 milhões de pesetas para liberar o seu camisa 10, e o Real estava disposto a se aproximar do valor, no entanto para a surpresa de todos, a modesta Udinese da Itália fez uma proposta maior, e acabou levando o meia-campista.

No clube italiano, Zico chegou com grande festa e atuou de 1983 até 1985. Tendo feito 39 jogos e 22 gols. O eterno ídolo do Flamengo ainda conquistou em 1983, o Torneio Quadrangular de Údine, antes de retornar para a Gávea no final de 1985.

Créditos de imagem destacada: Reprodução

Compartilhar: