30.8 C
Rio de Janeiro
terça-feira, janeiro 26, 2021

VP de Esportes Olímpicos do Flamengo critica transparência financeira do clube

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Guilherme Kroll, que acabou de assumir o cargo de VP de Esportes Olímpicos do Flamengo também criticou projeto que auxilia o clube

Nessa segunda-feira (30), vieram à tona declarações polêmicas do VP de Esportes Olímpicos do Flamengo, Guilherme Kroll. Em vídeos que circularam pelas redes sociais, o novo dirigente do clube critica veementemente a prática das gestões anteriores. Em sua fala, Kroll discorda da transparência adotada pelo Mais Querido. Além disso, também manifestou a sua insatisfação com a Lei de Incentivo ao Esporte.

Vídeo que critica austeridade é de 2015

O vídeo em questão não é atual. Ele foi produzido em 2015, na corrida eleitoral pela qual a instituição passava. Na ocasião, ele pertencia à chapa de Cacau Cotta, atual Diretor de Relações Exteriores, muito criticado por falas elitistas referentes aos protestos realizados pela torcida na Gávea.

Kroll afirma, enfaticamente, que não concorda com a atitude do clube em ser transparente e admitir que a situação financeira do momento não era a das melhores. Na sua visão, tal conduta atrapalharia nas negociações com potenciais investidores. “Eles falaram que o Flamengo, ou pagava as dívidas, ou fechava as portas. Eles afugentaram quem quisesse botar dinheiro no clube para fazer ele campeão”, disse o VP.

Atual VP de Esportes Olímpicos do Flamengo, Guilherme Kroll, criticou transparência do Flamengo.

Vale lembrar que, a partir do princípio adotado pela gestão capitaneada por Eduardo Bandeira de Mello, que se baseava na reestruturação financeira, contenção de gastos e transparência, o clube voltou a ser respeitado no mundo dos negócios. Em maio de 2013, o Mais Querido acertou um contrato com a Caixa Econômica Federal no valor de R$ 25 milhões. Mesmo ano em que foi fechado o acordo com a Adidas no valor mínimo de R$ 30 milhões.

VP de Esportes Olímpicos do Flamengo também atacou lei que auxilia o clube

Em outra declaração concedida, essa em entrevista para um canal no YouTube, Kroll atacou duramente a Lei de Incentivo ao Esporte. “O basquete conquistou vários títulos com verbas oriundas da Lei de Incentivo ao Esporte. Essa lei é uma das maiores vergonhas desse país. A verba dessa lei deveria ser destinada ao esporte de inclusão social, não ao de excelência”, protestou o dirigente.

Em novo vídeo, dirigente também diz ser contra lei que favorece os Esportes Olímpicos do Flamengo.

O programa do Governo Federal é o principal pilar para o projeto “Anjo da Guarda Rubro-Negro“. Ele consiste na transferência de 6% do imposto pago pelo cidadão flamenguista para sete modalidades diferentes dos Esportes Olímpicos do Flamengo. O menor valor para contribuição é de R$ 150. Essa prática é viabilizada somente por conta da instauração da lei que Kroll disse não concordar.

Sancionada em 2006, a Lei de Incentivo ao Esporte permite que empresas e pessoas físicas destinem parte do que pagariam em imposto de renda para projetos sociais voltados para o esporte. Todos eles precisam ser aprovados pela Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania.

O Mundo Rubro Negro entrou em contato com a assessoria de imprensa do Flamengo em busca de um posicionamento acerca da polêmica que surgiu nessa segunda-feira. Até o fechamento dessa matéria, não obtivemos resposta.

Gostou desse conteúdo? Nós acreditamos ser possível falar sobre o Flamengo com qualidade. Seja nosso apoiador!

Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Divulgação

Notícias do Flamengo

- Advertisement -

Blogs