Há 39 anos, a atuação com direito a três gols na goleada por 5 a 0 sobre o Napoli de Ruud Kroll foi outra brilhante página escrita por Zico

Uma das maiores mágoas da torcida do Flamengo foi a transferência de Zico para o futebol italiano. O próprio Galinho já falou sobre o assunto inúmeras vezes com certa decepção. O maior craque da história do Mais Querido não queria defender as cores de outro clube na carreira. Porém, o negócio com a Udinese envolveu quantias milionárias para a época e fez arregalar a cobiça dos dirigentes rubro-negros.

O contrato válido por três anos com o time friulano, previa que ao longo deste período Arthur ganharia outro milhão, além de salários que somados pelo tempo de contrato totalizaria mais de 500 mil dólares. E ao Flamengo, a Udinese pagou 4 milhões de dólares.

O retorno ao Flamengo aconteceu por uma conjuntura de fatores que envolveu a promessa não cumprida da Udinese de montar um grande time em torno de Zico, suas seguidas contusões em na temporada 84/85 e à uma grande campanha de arrecadação de dinheiro criada pelo publicitário Rogério Steinberg. No fim das contas, o hiato da sinergia Flamengo-Zico-Nação encerrou-se na reestreia de gala contra o Fluminense.

Blog Alfarrábios do Melo :: Adriano Melo: A necessária venda de Zico para o mundo arábe

No entanto, o que pouco se sabe é que a transferência de Zico para o futebol italiano pode ter começado a acontecer no quadrangular disputado pelo Flamengo entre dos dias 12 e 14 de junho de 1981, na Itália. A boa impressão veio por conta das atuações nas duas goleadas frente ao Avellino e Napoli, por 5×1 e 5×0 respectivamente. Os dois jogos foram válidos para que o Flamengo trouxesse o Troféu Sport Sud para o Brasil e mais um prêmio de 60 mil dólares.

Contra o Avellino, o camisa 10 anotou um gol. Contra o Napoli, que fazia excelente campeonato italiano, Zico esteve esplêndido e somente não pediu música no Fantástico porque o quadro ainda não havia sido criado. Os três gols no Estádio San Paolo deixaram os aficionados italianos boquiabertos. E tudo isso ocorreu justamente em um dia dia 14 de junho, há 39 anos, e meses antes dos títulos da Libertadores e Mundial. E muito antes do próprio comandar umas das maiores seleções na Copa do Mundo da Espanha em 1982.

Foi na excursão do Mengo que o rico o futebol da “Bota” ajustou seu radar e começou a acompanhar os passos de Arthur Antunes Coimbra, o Zico do Flamengo.

P.S.: Infelizmente não encontramos nenhuma gravação dos dois jogos do torneio Sport Sud.

Gostou desse conteúdo? Nós acreditamos ser possível falar sobre o Flamengo com qualidade. Se você também acredita, clique aqui e torne-se apoiador do MRN.

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Reprodução

Não deixe de ler também